Pages - Menu

sábado, 16 de fevereiro de 2013

Women can't be writers

Acabei de notar que não há um único texto feminista no meu blog. Está mais do que na hora disso mudar. Normalmente, eu não escrevo esse tipo de texto por preferir a ficção, por estar meio enferrujada na área dissertativa/argumentativa e, principalmente, porque quando se trata de feminismo sinto que ainda tenho muita coisa a aprender. Eu entendo o poder das palavras e, tratando-se de uma ideologia, sei a confusão que as palavras erradas poderiam causar. Já existe muita névoa ao redor do significado do movimento e acho que se alguém procura mais esclarecimento nessa área, eu ajudaria mais citando autorxs mais experientes no assunto. Porém, eu preciso desabafar: isso está começando a ficar ridículo!

Mulheres não podem ser escritoras. Ok, talvez elas possam escrever alguns romances, mas escritoras sérias? Não, isso não é coisa de mulher. Ridículo! Até mesmo na literatura, nós precisamos lutar por igualdade. Há algum tempo isso tem me irritado um pouco. No começo, era só uma coceirinha na base do cérebro. Uma suspeita escondida num cantinho escuro da minha caixa craniana: "Ei, talvez eles não levem a sério uma mulher escritora". Eu tentei ignorar essa suspeita, afinal, com grandes escritoras em todo o mundo, quem iria duvidar que nós devemos ser levadas a sério na literatura? Funcionou, até que o número de vezes em que me perguntaram se escrevo romance "tipo crepúsculo" me tirou do sério. O pior não é nem a insinuação de que mulheres só escrevem romance, mas o tom ofensivo em que elxs insinuam isso. Como se romance não fosse digno de ser levado a sério.
Mulheres, essas criaturas emotivas, são logo relacionadas ao romance - palavra que aqui significa literalmente "história de amor", não contemplando as diversas características do romantismo - e atrelado a isso está a ideia implícita de que essas histórias de amor não devem ser levadas a sério. Por que? Ora, simplesmente porque as mulheres - e tudo o que é relacionado à elas - não deve ser levado a sério. Pelo menos, é isso que essas afirmações aparentam significar.

Eu não vou fingir que isso aqui é mais do que uma reclamação de uma escritora que está puta da cara com toda essa merda. Talvez um dia eu escreva um texto 'sério' e bonitinho. Hoje, eu só quero esclarecer algumas coisinhas: Romance é um gênero literário tão válido como qualquer outro e, quando você usa o termo, você deve saber que ele significa muito mais do que "histórias de amor". Aliás, histórias de amor devem ser levadas a sério. Não há nada de errado com elas. Mulheres são capazes de escrever qualquer coisa, elas não são naturalmente limitadas ao romantismo. E se eu quiser escrever um romance, escreverei a porra de um romance. Jane Austen é uma das minhas musas inspiradoras e ela escreveu romances cheios de personagens encantadores, humor inteligente e crítica social. And guess what? Dois séculos depois, as pessoas continuam a ler os livros dela. 
Women can be writers. Deal with it.








SUPER DICA DE LEITURA:




Quem me estuprou - Aline Valek

2 comentários:

Bruna K. disse...

http://pontoeletronico.me/2013/02/18/eu-quero-escrever-um-livro-sobre-literatura-brasileira/

Li isso agora e lembrei desse texto. :(

Amanda disse...

Sim, eu vi. Isso prova que até na literatura temos que lutar contra o preconceito.